sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

Uma breve história sobre os castanheiros...



Os castanheiros distribuem-se largamente por toda a zona planáltica da área protegida. Dado ser uma árvore de folha caduca imprime um grande contraste sazonal à região transmontana.
O castanheiro (Castanea sativa Mill.) está bem enraizado na cultura e na história agrícola da região. O seu fruto, a castanha, sempre foi um contributo importante na dieta dos povos locais: assim o era antes da chegada da batata das américas com os descobrimentos e, mesmo mais tarde, continuou a sê-lo, pela escassez de outros alimentos e porque estes eram vendidos para arranjar algum dinheiro, restando a castanha (antes pouco apreciada pelos ricos), a qual era seca e armazenada durante o resto do ano, para ser cozida ou assada, sendo o sustendo da população, conhecida pelo "pão do pobres".
A natureza da existência desta espécie na península não é totalmente compreendida, anteriormente pensava-se que o castanheiro fora trazido para a Península Ibérica pelos Romanos e que não existia antes por cá, porém estudos com registos polinológicos do Quaternário Ibérico apontam o castanheiro como uma das espécies que sobreviveram às glaciações em pequenos refúgios abrigados da Península, assim sendo a sua presença é muito mais remota e terá chegado de forma natural. É de notar, ainda assim, que a grande espansão do castanheiro na península é antropogénica, esta sim realizada pelos romanos, muitas vezes com propágulos provenientes de outras regiões da Bacia Mediterrânica (os romanos davam grande valor económico ao castanheiro). (1)
Ficha técnica:
Família: Fagaceae
Descrição: árvore dicotiledónea, de folha caduca, que atinge 20-30 metros de altura (no máximo 45 metros) e pode viver largas centenas de anos, há quem diga que pode chegar aos 1000 anos.
Distribuição: estende-se por toda a área mediterrânea, desde a Península Ibérica até ao Caucaso e Ásia Menor, norte de África, centro da Europa, introduzida nas Ilhas Britânicas.
Habitat: altitudes entre os 400m e os 1000m (por vezes mais). Clima sub-atlântico.
Curiosidades: existem dois tipos: o castanheiro manso e o bravo, o manso obtém-se por enxertia de um bravo, é o castanheiro manso que produz as castanhas que habitualmente comemos, existindo centenas de variedades de castanhas diferentes. Os povoados deste designam-se de soutos. O castanheiro-bravo é utilizado para a produção de madeira e os seus povoamentos são os castiçais. Os povoados de castanheiros servem de habitat de dezenas de espécies de cogumelos.
Português – Castanheiro, castanheiro-europeu, castanheiro-bravo
Inglês – Sweet chestnut, European chestnut
Francês – Châtaignier, castagnié
Castelhano – Castaño común
Italiano – Castagno
(1) Blanco Castro, E., M. A. Casado González, M. Costa Tenório, R. Escribano Bombín, M. Garcia Antón, M, Génova Fuster, Á. Gómez Manzaneque, J. C. Moreno Saiz, C. Morla Juaristi, P. Regato Pajares e H. Sainz Ollero. 1997. Los Bosques Ibéricos: una Interpretación Geobotánica. Editorial Planeta. Barcelona.

3 comentários:

Templo do Giraldo disse...

http://templodogiraldo.blogspot.com/



Passem por aqui e comentem.
SAUDAÇÕES.

António Castanheira disse...

Olá!
Parabéns pelo blog.
Eu, adoro o pedestrianismo e tudo o que se relacione com a natureza.
Um abraço

Victor Alves disse...

Obrigado António

Vai aparecendo por cá

Um Abraço