terça-feira, 24 de abril de 2007

Parque eólico no P.N. Montesinho - um golpe letal



"Empresa quer investir 800 milhões de euros em parque eólico em Bragança 19.04.2007 - 18h16 Lusa

A Airtricity Energias Renováveis, empresa de capitais irlandeses e portugueses, anunciou hoje que pretende investir 800 milhões de euros na construção de um parque eólico em Bragança, em pleno Parque Natural de Montesinho.
A nova empresa - que quer entrar no mercado português da energia, produzindo e vendendo directamente ao consumidor – resulta de uma parceria entre a Airtricity irlandesa e portuguesa Enerbaça-Energias Renováveis.Luís Pinho de Sousa, presidente da Enerbaça, diz que o parque eólico poderá produzir entre 400 a 600 megawatts (MW) de energia, o suficiente para "alimentar entre 15 a 20 cidades" como Bragança, que tem cerca de 20 mil habitantes. Luís Pinho de Sousa e o presidente da Airtricity, Paul Dowling, tencionam ter a funcionar "o primeiro aerogerador dentro de um a dois anos", embora ainda não esteja concluído o processo que permitirá avançar com o projecto.Terrenos do projecto em pleno Parque Natural de Montesinho No entanto, o projecto está dependente de estudos e autorizações, nomeadamente ao nível ambiental, já que será desenvolvido em pleno Parque Natural de Montesinho.Apesar de ser ambientalmente um dos sítios mais sensíveis de Portugal, os promotores entendem que "há que avançar sem radicalismos para alterar o tipo de consumo que está a ser feito com combustíveis fósseis".Na cerimónia de apresentação do projecto, o presidente da Câmara de Bragança, Jorge Nunes, deixou um apelo no mesmo sentido, alertando que "este projecto necessita de muita cooperação institucional e de abertura por parte do Governo e nada de fundamentalismos".O autarca lembrou que as aldeias do Parque Natural de Montesinho perderam, nos últimos 30 anos, metade da sua população, sendo necessário inverter esta tendência com investimentos.Autoridades locais com olhos postos em parques eólicos do outro lado da fronteiraOs parques eólicos que se avistam no lado espanhol continuam a ser motivo de "frustração" para os presidentes de junta de freguesia portugueses, que gostariam de poder usufruir dos mesmos benefícios que os seus vizinhos. As empresas que exploram os parques eólicos no lado espanhol pagam rendas pelos terrenos e uma comparticipação nos lucros de exploração."O que verificamos nas aldeias vizinhas espanholas é que não conseguem gastar todo o dinheiro que recebem", disse Manuel João, presidente da junta de freguesia do Parâmio. Este lembrou que “ainda há muito a fazer nas aldeias do coração do Parque Natural de Montesinho, uma das zonas mais visitadas da região, mas onde os habitantes vivem sem saneamento básico”.Os autarcas receiam que a direcção do Parque Natural ponha "entraves" ao projecto por motivos ambientais, embora ressalvem que "ainda não se sabe como vai ser porque nunca ninguém pediu autorização para fazer uma coisa destas"."

sábado, 21 de abril de 2007

Bem-vindos




Esta é uma nova página sobre o Parque Natural de Montesinho e regiões adjacentes, que tem como objectivo divulgar as qualidades paisagísticas, ecológicas e culturais do Parque, com uma atitude de fomentar a sua preservação. Além de reunir endereços de todas as páginas relacionadas com o Parque, de forma actualizada de forma a ser mais fácil ao leitor obter mais informação e num único local.